Análise do novo Sony eReader: o Sony PRS-T3

Análise do novo Sony eReader: o Sony PRS-T3

Faz umas semanas, os caras da Sony gentilmente nos deram seu novo eReader, o Sony PRS-T3, para que pudéssemos fazer uma revisão no eReader. Alguns dias atrás, publicamos o unboxing do eReader e hoje trazemos a revisão. Eu sei que este eReader não tem uma boa reputação agora depois abandonar a Sony sua loja de livros eletrônicos em favor da loja de livros eletrônicos KoboEmbora seja talvez um dos melhores momentos para considerar este eReader, uma vez que a biblioteca Kobo é muito maior que a biblioteca Sony, ou seja, temos «recebido de repente»Uma imensa quantidade de ebooks e periódicos além de ter a opção de obtê-los por um preço menor com os descontos que a Kobo lança. Mesmo assim, lembre-se que o vídeo foi feito antes das novidades da ebookstore, então você não vai encontrá-lo no vídeo em nenhum momento.

Sony PRS-T3, um bom produto Sony

El PRS-T3 veio para nós através de Pessoal da Sony. O que mais me chamou a atenção é a embalagem do eReader. Depois de retirar os plásticos, forros e caixa de papelão, encontramos a embalagem do eReader, a embalagem que podemos ver nas lojas ou grandes lojas, ou seja, a segurança do eReader é incrível, principalmente se compararmos com seus concorrentes como o Kindle da Amazon. Uma vez aberto, encontramos o eReader, a documentação e o cabo usb que podemos usar para carregar a bateria do eReader, bem como comunicar o eReader com o computador.

Quanto às características técnicas, você as encontrará tanto no vídeo como em outros artigos já publicados, porém gostaria de destacar dois aspectos que considero fundamentais para este eReader. O primeiro é a situação da bateria. O SonyPRS-T3 Acho que é o primeiro eReader que coloca a bateria ao alcance do usuário, então se tivermos algum problema com ela ou quisermos trocá-la, podemos fazê-lo sem recorrer a nenhum serviço técnico. A outra característica de SonyPRS-T3 para destacar é sua tela. Embora seja verdade que o PRS-T3 Não tem uma luz frontal como seus concorrentes, tem uma tela muito nova e nítida, com um fundo branco que poucos eReaders têm e uma percepção incrível dos toques. Essa percepção é extremamente útil quando queremos escrever notas, sublinhar ou desenhar em nosso ebook com apenas o toque de nosso dedo.

Em relação ao software do SonyPRS-T3, sua interface é simples e muito intuitiva, como a de quase todos os eReaders, porém notamos uma diferença significativa, o PRS-T3 Demora muito para carregar, para ligar, se comparado a outros eReaders como o Kobo Aura HD, sua inicialização é tardia, porém, uma vez ligado, a velocidade e o carregamento dos ebooks são muito rápidos. Possivelmente mais do que outros eReaders como o Kobo Aura HD ou Kindle Paperwhite. Também digno de nota é a possibilidade que o Sony PRS-T3 dá para instalar e usar aplicativos no eReader. Além dos aplicativos básicos, a Sony incorpora dois aplicativos muito úteis em seu eReader: Evernote e Facebook. A primeira, Evernote, transforma o nosso eReader numa magnífica agenda em que podemos anotar todas as nossas notas, compromissos e tarefas diárias, escrevemos no pc e sincronizamos com o eReader. Mas também podemos instalar outros aplicativos, como Pocket ou TelegramNão vamos esquecer que o sistema operacional em segundo plano é o Android.

Em relação à compra de e-books, não foi possível verificar em primeira mão, pois o eReader nos informou que havia um problema com a ebookstore e a região, talvez o processo de alteração que você agora com certeza já estará disponível já esteja em andamento.

Por fim, comente que o Sony PRS-T3 vem com um case protetor muito útil que nos ajudará a salvar nosso eReader de golpes fortuitos, agora, se não quisermos, há também a opção de comprar o eReader sem aquele case, com a conseqüente redução em seu preço. Você decide. O que você acha desta revisão? Há algum aspecto que você gostaria de apontar que não foi dito?


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

6 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   Peter Dahdah dito

    Antes do Kobo Aura HD meu eReader era um Sony PRS-600 e duas razões convincentes foram o que me fez mudar de marca: 1ª: eu não tinha o idioma espanhol, então não tinha a opção de dicionário e 2ª. o display iluminado.
    O material daquela Sony é muito superior ao do Kobo, muito robusto, a biblioteca também está melhor apresentada, mais simples e com maiores opções de busca, como por gênero literário.

  2.   VICENTE dito

    NO DIA DO AMOR, DEI À MINHA NAMORADA UM EREADER SONY PRS-T3. ALGUNS MESES SÃO METADE DA TELA BORRADA E RISCADA. ELES ME DIZEM QUE A TELA ESTÁ QUEBRADA E NÃO ESTÁ COBERTA PELA GARANTIA. O REPARO É ANTIECONÔMICO. ISTO DECEITALMENTE ME DESAPONTOU.

  3.   Jesus dito

    A tela se quebra facilmente com o uso normal dentro de alguns meses de uso e a Sony não se responsabiliza pelo reparo, mesmo que o equipamento esteja na garantia.

  4.   Carlos dito

    Também dei um Sony PRS-T3 para minha esposa. Ela ficou muito feliz e eu também dei a ela a capa protetora com iluminação. Mas, um dia, depois de três meses, ele o encontra com algumas listras no topo da tela. Retiro a capa protetora para levá-la ao SAT e nessa operação as listras se estendem até o meio dela. Achei que estaria quebrado.
    Mas como se costuma dizer em muitos comentários a SONY passa por tudo e não considera que seja sua responsabilidade e não está coberto pela sua garantia. É UMA VERDADEIRA ATRAÇÃO porque o gadget não é barato e, na verdade, tem uma tela fraca que não atende aos padrões mínimos de resistência.

  5.   Juanvi dito

    Aconteceu comigo exatamente o mesmo. Depois de três meses usando uma tela quebrada sem fazer nada. Sony não é responsável. Ataque armado. Não compre este e-book ou você perderá dinheiro.

  6.   Toni dito

    Deixei-o sem uso durante os meses de verão, para minha surpresa, quando queria ligá-lo novamente, ele não ligava. Carreguei várias vezes e nada, não funcionou. Realmente com pouco tempo de uso, me quebrou.
    Não sei se é a bateria ou o que realmente é. A bateria está acessível, mas os cabos que a ligam estão soldados ... € 150 para o lixo ...